A Espiritualidade do Deserto

São Bento de Núrsia

 

 

     “Houve um homem de vida venerável, Bento pela graça e pelo nome”  (Diálogos de S. Gregório Magno)

 

      S. Bento nasceu em Núrsia, Itália, por volta do ano 480, numa família abastada. Com cerca de vinte anos, foi a Roma estudar direito e lá encontrou-se pela primeira vez com a vida monástica. Deixando tudo, partiu primeiramente para Subiaco onde recebeu o hábito do monge Romano e dedicou-se à vida eremítica. A fama de sua santidade não tardou a espalhar-se e logo um grupo de discípulos formou-se ao seu redor, dando origem ao primeiro dos mosteiros fundados por ele. A vida monástica por ele fundada não continha muitos elementos originais. Seu mérito foi o de conhecer profundamente a tradição monástica já existente e de saber compor, a partir dela, uma regra de vida cujas características mais marcantes são sua discrição e equilíbrio. O próprio Bento definiu sua regra como uma “regra para principiantes” (RB 73,1), onde os “fortes achem o que desejam e os fracos não fujam” (RB 64,19). Bento faleceu por volta do ano 560, mas a santidade de sua vida e a Regra por ele deixada conheceram uma difusão crescente durante toda a Idade Média, dando origem ao monacato beneditino propriamente dito, assim como servindo de base para as reformas surgidas nos séculos posteriores. É celebrado como o "pai do monaquismo ocidental".